Presidente do BACEN alertou sobre crise das criptomoedas

Economista previu queda no mercado

Economista fez previsão sobre o fracasso de 2018 há um ano atrás

Ilan Goldfajn fez um alerta para a crise vivida recentemente no mercado de criptomoedas. A frente do Banco Central do Brasil (BACEN) até esta segunda (10), Ilan previu que os ativos digitais sofreriam uma grande queda em 2018. E essa previsão aconteceu em 2017, momento em que o mercado vivia uma onda efusiva de valorização. Nessa época, por exemplo, o preço do Bitcoin (BTC) se preparava para alcançar US$ 20 mil.

Segundo a previsão de Ilan, o mercado de criptomoedas iria encolher em 2018. Até então, o mercado caminha para um de seus piores desempenhos nos últimos anos. A recente crise serviu para endossar o que o presidente do BACEN afirmou há cerca de um ano atrás.

Illan deixou a presidência do órgão nesta segunda (10)

Illan está a frente do BACEN desde que o governo do presidente interino Michel Temer (PMDB) começou. Com a posse de Jair Bolsonaro (PSL) nesta segunda-feira (10), o economista deixará seu posto para ser ocupado por Roberto Campos Neto. O futuro presidente do BACEN foi diretor do Santander e poderá decidir sobre discussões futuras em relação a uma possível regulamentação do setor no Brasil.

O ex-presidente do BACEN já fez duras críticas em relação as criptomoedas. Em uma entrevista recente ao Estadão, Ilan falou sobre as barreiras para uma possível regulamentação dos ativos digitais no país. Para o economista, o lastreamento das criptomoedas é um dos grandes impeditivos para que uma regulamentação para o setor fosse discutida.

Criptomoedas não podem ser regulamentadas, segundo economista

Para Illan, essa falta de lastreamento impediria, por exemplo, que instituições tivessem garantias suficientes sobre aquilo que estaria sendo investido. Sob estas alegações, o ex-presidente do BACEN considera que as criptomoedas não são um investimento seguro. Sendo assim, Illan classifica alguns ativos digitais, como o Bitcoin (BTC), por exemplo, como algo “arriscado”.

Por outro lado, Illan já demonstrou um reconhecimento perante a tecnologia blockchain em outras falas. Segundo o ex-presidente do BACEN, o alerta sobre a queda das criptomoedas foi realizado em 2017.

“É a típica bolha, a típica pirâmide, que em algum momento vai deixar de subir”.

Desde que esta previsão foi realizada, o mercado acumulou uma amarga desvalorização, coincidindo exatamente com que aquilo que Goldfajn alegou a cerca de um ano atrás. O economista chegou até a afirmar que o mercado de criptomoedas poderia ser classificado como um bolha e ou pirâmide, em uma de suas duras críticas ao setor.