Pedófilo criou Bolsocoin para homenagear Bolsonaro e cometer crimes

Bolsonaro foi homenageado em uma criptomoeda criminosa

Criminoso lançou criptomoeda no final de 2017 e já está preso

No final de 2017 a Bolsocoin foi criada para homenagear Jair Bolsonaro. Porém, o criador do ativo, Marcelo Valle Silveira Mello tinha outras intenções para com a criptomoeda. Após cometer diversos crimes, como pedofilia, Marcelo foi condenado pela justiça brasileira.

Bolsonaro foi homenageado pela Bolsocoin antes mesmo de o candidato vencer as eleições há alguns meses atrás. Mas a intenção de Marcelo com a criação deste ativo digital fez a comunidade cripto rejeitar totalmente seu projeto. A proposta do criminoso era utilizar o ativo para transações envolvendo ilicitudes como sequestro de dados e chantagens através das redes sociais.

Defensor da moral e da família cristã, Marcelo enganou a todos até em relação ao seu engajamento político. Apoiador visceral de Jair Bolsonaro, o hacker até mesmo criou uma criptomoeda para homenagear o presidente do Brasil. Não é a primeira vez que Marcelo foi condenado pela justiça. Contudo, dessa vez o criminoso deverá ser preso em breve.

Marcelo deverá pagar R$ 1 milhão a título de indenização

Além da prisão, a justiça estipulou que o criminoso deverá pagar R$ 1 milhão a título de indenização. Segundo a decisão, Marcelo foi condenado a quase 42 anos de prisão. O criminoso foi considerado culpado por vários crimes na internet, incluindo terrorismo. Marcelo teria ameaçado a embaixada norte-americana em Brasília-DF.

Marcelo está preso desde maio, após a operação Bravata localizar o hacker. Contudo, uma decisão desta quarta-feira (19) mudou o destino de Marcelo. Com a decisão, o criminoso não poderá recorrer em liberdade. Isso significa que o hacker deverá continuar preso.

Bolsocoin foi criado após um hard fork do Litecoin (LTC)

Marcelo ainda foi acusado de racismo, incitação ao cometimento de crimes e pedofilia. Foram encontradas no computador do criminoso milhares de fotos de crianças em práticas sexuais. Além disso, o hacker teria disponibilizado esses conteúdos na internet.

O Bolsocoin surgiu no final de 2017, mas não encontrou sucesso no mercado de criptomoedas. Isso por que muitos não decidiram apoiar a ideia do criminoso, que criou o ativo digital em busca de praticar crimes com o token que homenageia o presidente eleito no Brasil, Jair Bolsonaro.

Criado a partir de um hard fork do Litecoin (LTC), o Bolsocoin seria utilizado em ações contra minorias, financiado causas amparadas em discursos de ódio. Além disso, o hacker cometia um tipo de chantagem em que a polícia era acionada em busca de algum delito na casa de vítimas do Marcelo.