Identidade Bitcoin? CVM quer criar ID para investidores no Brasil

CVM quer criar ID para investidores no Brasil

A Comissão de Valores Imobiliários (CVM) trabalha na criação de uma ID para investidores de criptomoedas brasileiros. Dessa forma, todos os usuários teriam um ID único de negociação que será construído através da tecnologia blockchain. Sendo assim, um controle maior no Brasil poderá acontecer em relação às transações envolvendo criptomoedas.

A tecnologia blockchain será utilizada para garantir maior segurança as transações envolvendo criptomoedas no Brasil. Isso permitirá que órgãos governamentais relacionados ao sistema financeiro identifiquem as transações de investidores do país de forma rápida, utilizando um sistema de dados descentralizado. Sendo assim, uma “identidade bitcoin” será criada para todos que investem em criptomoedas no Brasil.

Vários órgãos serão ligados através da tecnologia Microsoft Azure

Através de uma identificação codificada, a (CVM) poderia acompanhar as transações envolvendo criptomoedas no país. Desse modo, todos os investidores estariam sujeito a esse novo tipo de tecnologia. Além da (CVM), outros órgãos fiscais estão envolvidos no projeto, que visa integrar alguns setores financeiros.

A (CVM) aposta em uma tecnologia capaz de interligar diversos órgãos, como o Banco Central (BC), para que informações sejam trocadas em tempo real. Além do (BC), faz parte do projeto também a Superintendência de Seguros Privados (Susep). E por trás da tecnologia promissora está o Microsoft Azure, onde o projeto está sendo desenvolvido.

Com uma comunicação direta entre os três órgãos, a análise de dados de investidores poderá ser muito mais eficiente. Além disso, um controle em relação ao mercado de criptomoedas poderá abrir portas para uma futura regulação do setor no Brasil. Porém, muitos veem essa forma de controle do mercado de criptomoedas como algo que poderá trazer prejuízos para o setor.

Tecnologia será lançada em até um ano

A maior preocupação dos investidores está em compartilhar dados pessoais. Porém, a (CVM) garante que os dados não serão expostos, apenas o número de identificação que cada usuário receber. Sendo assim, a preocupação com a segurança do sistema pode ser reduzida.

Tudo indica que o sistema poderá ser utilizado em até um ano, após o ID ser completamente desenvolvido. Dessa forma, em breve os usuários utilizarão o sistema de identificação do governo para realizarem transações com criptomoedas. As empresas como as corretoras de criptomoedas também devem integrar a tecnologia assim que for lançada no mercado.