Facebook cria criptomoeda que pode ser enviada pelo WhatsApp

Facebook trabalha na criação de sua própria criptomoeda

Rede social vai lançar seu próprio token no mercado

O Facebook está trabalhando no desenvolvimento de sua própria criptomoeda. O token será um stablecoin e poderá ser enviado através do WhatsApp, que faz parte do oligopólio da empresa. Com a notícia, o grupo de Mark Zuckerberg entra definitivamente para o mercado de criptomoedas.

Assim como a China, o Facebook rechaçou as criptomoedas. A rede social chegou até a proibir a veiculação de propagandas sobre ativos digitais em suas plataformas. Porém, parece que a restrição significava um interesse maior da empresa no setor. Isso aconteceu também com a China, que proibiu negócios envolvendo criptomoedas no país e recentemente noticiou que criará seu próprio ativo em 2019.

Empresa já chegou a proibir propagandas envolvendo criptomoedas

Propagandas envolvendo mineração de ativos digitais ainda continuam proibidas pelo Facebook. Essa restrição era ainda maior no início de 2018. Mas, poucos meses depois de tomar uma decisão radical envolvendo as criptomoedas, a rede social decidiu voltar atrás.

A rede social pegou a todos de surpresa ao ser revelada suas verdadeiras intenções sobre as criptomoedas. Sem que sites de notícia soubessem, uma stablecoin criada pela empresa está sendo desenvolvida pela empresa em segredo. A notícia foi publicada exclusivamente pela Bloomberg, que obteve a informação em primeira mão.

Facebook possui mais de 40 funcionários trabalhando com a tecnologia blockchain

O stablecoin do Facebook possivelmente será atrelado ao dólar norte-americano. Isso significa que a criptomoeda da rede social terá seu preço amparado a uma moeda fiduciária. Muito mais que isso, o stablecoin da empresa poderá até oferecer depósitos seguros em dólar, como é o caso do Tether (USDT), por exemplo.

Com o inegável crescimento do mercado, mesmo em uma crise plena, gigantes da tecnologia estão investimento na tecnologia blockchain. O Facebook, por exemplo, possui um laboratório de desenvolvimento para esta tecnologia. Tudo indica que é por estes profissionais que a stablecoin está sendo desenvolvida. Segundo informações do Linkedin, pelo menos 40 funcionários trabalham na empresa com a tecnologia blockchain.

Com a chegada do Facebook formalmente ao mercado de criptomoedas, a empresa de Mark Zuckerberg poderá oferecer forte concorrência as demais stablecoins. Além disso, a proposta da rede social poderá ajudar a popularizar ainda mais as criptomoedas, graças a uma funcionalidade que promete ser o diferencial do stablecoin da empresa.

Com um envio através do WhatsApp, a criptomoeda do Facebook promete ser uma forma rápida e segura para enviar fundos. Isso significa que os usuários poderão comprar e vender através do aplicativo de conversação. Por outro lado, a iniciativa não é tão revolucionária. Na Venezuela, por exemplo, já é possível enviar criptomoedas através até de SMS, através do Dash.