Boxeador e DJ famoso ganha multa por propaganda ilegal de criptomoedas

Dj e boxeador são processados pela (SEC) dos EUA

A promoção ilegal de criptomoedas terminou em uma multa milionária para o boxeador Floyd Mayweather. Além do boxeador, o DJ Khaled também foi multado pela (SEC) dos Estados Unidos. Dessa forma, os famosos poderão pagar uma multa milionária por promoverem criptomoedas no mercado.

Nem sempre todos os projetos podem ser confiáveis e celebridades podem responder por uma vinculação a projetos fraudulentos. Dessa forma, propagandas que envolvem criptomoedas que podem ser farsas no mercado pode terminar em sérios problemas para vários famosos.

Novos projetos buscam celebridades para promoverem seus produtos no mercado

A (SEC) publicou um alerta sobre a promoção desenfreada de criptomoedas por famosos nos Estados Unidos. Através de famosos muitos projetos buscaram angariar novos clientes, utilizando a imagem de celebridades como o DJ Khaled, por exemplo. Após a advertência formal da (SEC) ser publicada em 2017, a comissão decidiu processar duas celebridades e esse número poderá ser ainda maior.

Muitos famosos adentraram ao mundo das criptomoedas como garoto-propaganda de diversos produtos que foram lançados no mercado. Sendo assim, a maioria desses projetos são lançamentos no mercado. Porém, parte desses projetos podem ser fraudulentos, o que levou a (SEC) a aplicar uma multa milionária contra duas celebridades norte-americanas.

Empresa envolvida com celebridades também foi multada

No caso do boxeador e do DJ, ambos faziam parte de uma empresa, a CentraTech. Segundo divulgações do portal TecMundo, Floyd Mayweather deverá pagar US$ 300 mil em multas para a (SEC). Já o DJ Khaled teve a sua multa fixada em US$ 100 mil, acrescida de juros. Além dos dois, a empresa CentraTech foi multada em cerca de US$ 50 mil. A empresa é acusada de pagar ao boxeador cerca de US$ 100 mil para promover os seus negócios.

A empresa CentraTech está sendo acusada, assim como as celebridades, de terem promovido uma criptomoeda fraudulenta no mercado. Dessa forma, isso teria acontecido em 2017, época em que o projeto suspeito levantou mais de US$ 30 milhões através de uma Oferta Inicial de Moeda (ICO em sua sigla em inglês).