Blockchain poderá ser utilizado na indústria de frutos do mar

Tecnologia blockchain poderá ser utilizada em frutos do mar

A tecnologia blockchain poderá ser útil para a exploração sustentável de frutos do mar. Essa é a aposta da Fishcoin, uma startup que planeja criar um banco de dados mundial sobre a exploração de recursos marinhos. Dessa forma, a empresa espera criar um ecossistema de exploração que não cause danos ao meio ambiente utilizando a tecnologia blockchain.

Até mesmo a produção de frutos do mar pode ter benefícios ligados a tecnologia blockchain. Essa tecnologia já foi utilizada em diversos tipos de negócios e demonstra ser promissora ao abordar um gerenciamento de dados descentralizado. Sendo assim, é através dessa descentralização que a Fishcoin espera criar um banco de dados com o apoio internacional.

Exploração de recursos deve ser controlada para evitar desequilíbrio na natureza

A exploração desenfreada de recursos como os frutos do mar pode levar a um desequilíbrio no ecossistema marítimo. A cada ano mais aumenta os milhões de toneladas de espécimes são retirados do mar sem que um tempo de recuperação aconteça. Dessa forma, essa exploração pode resultar até mesmo na extinção de alguns animais, por exemplo.

Para criar uma forma sustentável de exploração de frutos do mar, a Fishcoin espera contar com o apoio de diversos interessados para manter sua base de dados atualizada. Será através desses dados que a empresa poderá dimensionar o quanto de exploração poderia ser considerado sustentável. Dessa forma, será através da tecnologia blockchain que esses dados serão gerenciados.

171 milhões de toneladas de peixes foram retirados do mar somente em 2016

Em 2016 foram retirados 171 milhões de toneladas de peixes e outras espécies foram retirados do mar. Sendo assim, esse número representa um recorde histórico de exploração marítima que cresce a cada ano.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO em inglês), 88% de toda essa exploração foi destinada para o consumo humano. Essa mesma instituição alerta que em 2030 esse número poderá ser 20% maior que o atual. Dessa forma, um sistema de controle da exploração de recursos como só frutos do mar poderia garantir o equilíbrio de todo o ecossistema marítimo.