O que é o Bitcoin (BTC): uma moeda virtual ou uma revolução digital?

Bitcoin (BTC)

O Bitcoin (BTC) é uma unidade de pagamento virtual e a mãe de todas as criptomoedas. Atualmente a capitalização de mercado da Bitcoin (BTC) fica em torno de 130 bilhões de dólares norte-americanos. Existem muitos nomes e denominações diferentes: moeda criptográfica, dinheiro virtual, investimento virtual, negócio de especulação, negócio de risco, meio alternativos de pagamento, etc.

A criptomoeda não é baseada em moedas físicas ou notas que tem valor, como o real ou o dólar norte-americano, por exemplo. Sendo assim, o Bitcoin (BTC) é um meio de pagamento global e descentralizado, que só pode ser negociado on-line na internet (com algumas exceções). Nesse contexto, descentralizado significa que a emissão e a negociação não são monitoradas e liquidadas por estados ou bancos, mas sim por um elemento de controle central: o blockchain.

Por que foi inventado o Bitcoin (BTC)?

Desde a década de 1990 o acesso a internet teve um crescimento explosivo. As portas para o mundo virtual e para o comércio global estão abertas para todos. Desse modo, o comércio global com moedas diferentes dificulta as transações de pagamentos. Sendo assim, existem taxas altas, e as transferências demoram vários dias para serem processadas.

Com Bitcoins (BTC), essas preocupações são uma coisa do passado. Com a criptomoeda é possível enviar uma transação do Brasil para o Japão, por exemplo, dentro de alguns minutos, a um custo muito baixo. Além disso, isso não requer intermediários como bancos ou estados e pode ser enviado diretamente de uma carteira (carteira virtual) para a carteira de outra pessoa. Sendo assim, o Bitcoin (BTC) só pode usado com uma conexão de Internet, através de seu notebook, tablete ou do seu próprio celular.

Uma desvantagem que você provavelmente já percebeu entre notícias relacionadas à criptomoedas diz respeito a segurança dos ativos digitais. Muitos já souberam que criptomoedas são alvos popular para ataques por parte dos hackers. Essas informações são encontradas com alguma frequência na internet. Desse modo,  roubos jpa acontecerem a corretoras de Bitcoin (BTC), como a Coinbase ou a Poloniex, por exemplo.

Sendo assim, é importante ter uma carteira hardware (wallet) para armazenar criptomoedas. Com ela pode ser armazenado o saldo da conta atual em um pendrive ou outro dispositivo de armazenamento, incluindo também as senhas de acesso. Contudo, esses dispositivos são praticamente inaccessíveis por hackers, já que tem um password próprio e usam una rede independente da conexão de internet do computador.

Como o Bitcoin (BTC) funciona e que tecnologia está por trás disso?

Simplificando, o núcleo do Bitcoin (BTC) consiste em um sistema de pagamento e uma unidade monetária, que não é gerenciada centralmente, como acontece com o sistema bancário tradicional, por exemplo. Em vez disso, o sistema Bitcoin (BTC) é distribuído em uma rede de computadores, utilizando seu próprio software. Este sistema é baseado em um banco de dados descentralizado, gerenciado pelos próprios participantes. Sendo assim, esse banco de dados é o chamado blockchain: ele armazena todas as transações de Bitcoins (BTC) que foram concluídas.

como funciona bitcoin
Bitcoin funciona no Blockchain

A única condição para participar no blockchain é o chamado cliente Bitcoin, que é armazenado no disco rígido local ou é fornecido por um provedor de serviços on-line. Com isso, o sistema Bitcoin não está sujeito a restrições geográficas e pode ser usado em todo o planeta. O único requisito é a presença de uma conexão estável com a Internet.

A estrutura Peer-to-peer (P2P) deste sistema leva a uma completa descentralização do ecossistema Bitcoin (BTC). Da mesma forma, o provedor bit-torrent também pode ser citado como usando essa lógica programacional.

O Bitcoin (BTC) pode ser considerado como dinheiro real?

Não é possível responder a esta pergunta com um claro “sim” ou “não”. Há tantos defensores quanto críticos e instituições, todos perseguindo interesses diferentes para defender sua posição em relação à criptomoeda. O Bitcoin (BTC) é considerado uma “moeda do futuro“, um ativo digital que não está sujeita a controle centralizado e, portanto, livre da influência de governos e outras forças que agem sobre o sistema financeiro mundial.

O Banco do Brasil define o Bitcoin (BTC) da seguinte forma:

“Bitcoins não são emitidos nem garantidos por qualquer autoridade monetária, por isso não tem garantia de conversão para moedas soberanas”.

 Isso significa que o Banco Central do Brasil não aceita Bitcoins (BTC) ou reconhece unidades da criptomoeda como dinheiro. No entanto, as unidades de Bitcoin (BTC) podem ser trocadas por uma variedade de serviços ou bens, e o número de pontos de aceitação está aumentando constantemente. Em particular, no Japão, onde o Bitcoin (BTC) já é reconhecido como um meio legítimo de pagamento, por exemplo. Sendo assim, a maior diferença para uma moeda monetária em estado real é a obrigação legal de todos os operadores de usar a moeda nacional para liquidar quaisquer dívidas.

Taxas e Despesas de uma Transação de Bitcoin

Além disso, a proximidade geográfica não influencia a taxa de transação. Existe apenas uma taxa para o envio de Bitcoin (BTC) e/ou de um minerador na rede Bitcoin (BTC). A taxa do minerador do Bitcoin (BTC) recai sobre a primeira pessoa que confirma e processa a transação. Mas, quem processa a transação não pode ser determinado antecipadamente. A taxa é uma forma de recompensa pelas despesas do minerador com o hardware, eletricidade e outras taxas incorridas.

No entanto, as taxas de transação representam apenas uma pequena parte dos custos reais da transação. Os mineradores recebem uma recompensa fixa na forma de unidades Bitcoin (BTC) recém-criadas. Esse processo leva a uma expansão da oferta monetária e, portanto, a custos adicionais que são repassados, ​​pelas forças inflacionárias a todos os participantes do mercado (isto é, pessoas que possuem o Bitcoin (BTC)).

Realizando transações financeiras com o Bitcoin (BTC)

Quando uma pessoa conclui uma transação pode determinar qual taxa quer pagar. Sendo assim, normalmente existem taxas para três tipos de transações: as lentas, as normais e as rápidas. As transações rápidas têm as taxas maiores, e as transações lentas são mais baratas. Porém, as transações lentas demoram mais tempo até que o Bitcoin (BTC) chegue ao destinatário. Desse modo, resta destacar que, em quase todos os casos não existe grande diferença entre as taxas a pagar, já que os valores rondam apenas alguns centavos de reais.

A taxa mínima vigente para uma transação é de aproximadamente dois centavos de real. No entanto, a carga mínima recomendada é muito maior, e é de cerca de cinco centavos (0,0001 BTC). Naturalmente, esses valores flutuam e não são considerados fixos. Além disso, essa taxa também é pré-definida na maioria das carteiras digitais. Isso pode ser uma confirmação de transação, dependendo da carga da cadeia de blocos em minutos.

Em comparação com o sistema financeiro tradicional, por exemplo, uma transferência bancária demora pelo menos um dia. Além disso, as transferências internacionais normalmente significam altas taxas bancárias associadas e mais demora ainda.

O Bitcoin pode ser usado anonimamente?

Como o Bitcoin (BTC) pode ser negociado em qualquer lugar onde a internet esteja disponível, isso já é uma resposta indireta para essa questão. Embora haja algum anonimato, deixamos impressões digitais onde quer que estejamos na rede. Mesmo se usarmos a maneira mais segura e criptografada (navegador Tor criptografado ou software que ofusca o IP), os profissionais de TI provavelmente poderão rastrear quaisquer transações em caso de emergência.

bitcoin anônimo
O Bitcoin não é totalmente anônimo

No entanto, há um certo anonimato no Bitcoin (BTC). Os dados no blockchain são enviados ​​através de uma chave privada codificada. Sendo assim, é difícil para particulares e empresas obter mais informações sobre uma transação.

Porém, deve-se ter em mente que esse anonimato também tem limites. Todas as transações entre dois assinantes são registradas em um sistema público de reservas (o blockchain), e são armazenadas permanentemente em toda a rede. Não existem dados pessoais, mas é possível ler os endereços que concluíram a transação. Como resultado, o respectivo remetente ou destinatário pode ser determinado especificamente em caso de demanda judicial ou qualquer outro motivo legal.

Desse modo, isso faz do Bitcoin (BTC) uma criptomoeda mais rastreável que, por exemplo, a troca de dinheiro fiduciário entre as pessoas. Os corretores de Bitcoin (BTC) que permitem a troca por moedas tradicionais estão sujeitos a disposições legais estritas, para salvaguardar a luta contra o branqueamento de capitais.

O Bitcoin (BTC) é seguro?

O ecossistema completo da rede Bitcoin (BTC) é muito complexo e não pode ser descrito em uma única frase. A segurança só pode ser garantida se todos os parâmetros e elementos relevantes se comunicarem uns com os outros, sem maiores problemas. Sendo assim, há cada vez mais provedores digitais que aceitam Bitcoin (BTC) como meio de pagamento. É possível comprar um alojamento web na Hostinger, pagando com Bitcoin (BTC), por exemplo. Além disso, também já existem lojas locais que aceitam Bitcoin (BTC), sobretudo no Japão, na Suíça e na Áustria.

Claro, os hackers estão verificando todas as possibilidades ao longo da cadeia de consumidores, a fim de descobrir qualquer ponto fraco para roubar dinheiro. Como já mencionado, algumas corretoras foram alvo de grandes ataques de hackers recentemente.

Em geral os sites são atacados através dos chamados ataques DDos. Esse ataque é também a razão pela qual você recebe uma mensagem de sua corretora quando diz que está verificando um ataque DDos. Tal ataque é um tipo de estratégia de sobrecarga em um único site. Sendo assim, um grande número de pedidos é feito ao servidor no qual se encontra a corretora, levando a uma sobrecarga do site. Desse modo, nesse momento poderá ser possível espionar a rede de computadores e acessar os dados armazenados.

Por isso que não há 100% de segurança ao usar a rede Bitcoin (BTC), ou ao trocar criptomoedas em corretoras on-line. Em qualquer caso é altamente recomendável usar uma carteira hardware. Com ela, você pode se proteger e é definitivamente mais seguro do que usar carteiras on-line de algumas corretoras.

Vale a pena investir em Bitcoin (BTC)?

Esta questão também é difícil de responder. O preço de todas as criptomoedas é muito volátil (pode flutuar amplamente), diferentemente do preço do ouro, por exemplo, embora sujeito à volatilidade também, porém, bem menor que a praticada entre os ativos digitais. Sendo assim, flutuações no preço do Bitcoin (BTC) de várias centenas de dólares por dia não são incomuns.

investir em bitcoin
Investir em bitcoin tem riscos associados

Entãp se você está “flertando” com o Bitcoin (BTC) ou quer investir na criptomoeda, é importante saber que você deve gastar apenas dinheiro que você pode perder, pois esse negócio envolve altos riscos. Existem muitas histórias de sucesso e a criptomoeda já fez alguns milionários, porém, o contrário também já aconteceu.

As previsões dizem que o preço do Bitcoin (BTC) pode subir no futuro, mas é claro que há também o risco do preço cair muito de um dia para o outro. Faça uma pesquisa sobre o mercado de criptomoedas anteriormente e tenha em consideração que investir em criptomoedas pode representar riscos elevados de perda de capital.